JUVENÍLIA COMPLETA 22 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA

PARABÉNS, JUVENÍLIA! CIDADE QUERIDA, TERRA DO PROGRESSO, DO DESENVOLVIMENTO, DA EDUCAÇÃO, DA JUVENTUDE E DA ALEGRIA!

Um lugar que nasceu através da educação, do saber, das letras, do conhecimento… surgiu com o crescimento de uma escola que tinha o objetivo de amparar os filhos de lavradores e pequenos agricultores, dando-lhes uma formação e preparando-os para a vida.

A cidade surgiu através de uma escola, fundada em 23 de setembro de 1953, que leva o nome de Centro Educacional do Carinhanha/Fundação Educacional Caio Martins – CEC/FUCAM, e completa hoje (23) 65 anos de fundação.

A história da cidade se confunde com a história da Escola Caio Martins, e vice versa. Não há como falar de uma sem falar da outra.

Em 1953, a convite do então prefeito de Manga, Antônio Lopo Montalvão, chega à pequena vila de Montalvânia, o Coronel Manoel José de Almeida, para apaziguar brigas que ocorriam por invasão de terras.

Conhecendo a região e para atender, mais uma vez, um pedido de Antônio Montalvão, o Coronel Almeida resolveu fundar uma escola, com o objetivo de atender as necessidades locais, amparando os filhos de lavradores e pequenos agricultores da zona rural e das regiões circunvizinhas, preparando-os para a vida, por sinal, muito difícil a época.

Essa escola surgiu a margem direita do Rio Carinhanha, na Fazenda Bom Sucesso, pela sua privilegiada posição geográfica e por serem terras de propriedade pública.

O ilustre Coronel chegou ao lugar dia 23 de setembro de 1953 trazendo consigo, da cidade de Esmeraldas, uma bandeira composta por 12 bandeirantes.

Fundaram então o Núcleo do Vale do Carinhanha e a escola com nome de Professor Manoel Ambrósio. Cada bandeirante exercia uma função distinta: Neguinho, como carpinteiro; Ambrósio, como agricultor; José Rodrigues e Luciano, como oleiros; Avelar, como padeiro; Mauro, como farmacêutico; Edgar, como chefe escoteiro; Jaime, como sapateiro; Domingos Sávio, como horticultor; Vicente e Claudionor, como alfaiate e também o padre José Augusto que celebrou a primeira missa e trouxe a imagem de Nossa Senhora de Fátima que se tornou a padroeira do lugar.

A escola, que oferecia o curso de 1ª à 4ª série, desenvolvia um excelente e diferenciado trabalho, até então nunca visto nas proximidades, com atividades cívicas, sociais, religiosas, culturais e até mesmo médicas, atraiu muitas pessoas das regiões circunvizinhas. Essas pessoas construíram suas casas em volta da escola, surgindo assim a vila que recebeu o nome de Bom Sucesso, nome da antiga fazenda onde a escola foi fundada.

Bom Sucesso cresceu e progrediu sob os pulsos do forte bandeirante Coronel Manoel José de Almeida e de grandes e destemidos homens como o Sargento Edson, Antônio Gomes, José Olímpio de Souza e outros, que foram os primeiros diretores e administradores da vila.

O crescimento da população que radicou-se aí foi intenso, daí a necessidade de comunicação. O rio Carinhanha, por intermédio da escola, serviu de ligação entre os povoados, sendo a mola mestra para o desenvolvimento do lugar.

Em homenagem à bravura do escoteiro Caio Viana Martins, que morreu acidentado, deram o nome à escola de Instituto Educacional Caio Martins. A vila também ficou conhecida por esse nome. Até então a Vila Caio Martins era dependente de Manga. Em 1954, Antônio Montalvão transferiu a prefeitura de Manga para Montalvânia, e algum tempo depois conseguiu a emancipação desta cidade.

Caio Martins passou então a depender de Montalvânia em vários setores como comércio, direitos e deveres jurídicos. Com o passar do tempo e com o desenvolvimento de Caio Martins, tornou-se difícil para o diretor comandar sozinho a vila e a escola. Por volta de 1962 Caio Martins desligou-se da escola passando à condição de distrito de Montalvânia, sendo administrada por Antônio Montalvão, fundador e prefeito de Montalvânia, e foi dado o nome de Juvenília, por sua população ser formada, na maioria, de jovens atraídos pelo desejo de participar das atividades educacionais da Escola.

Em 1997 Juvenília passou de distrito para cidade e teve como primeiro prefeito o professor Joaquim Gonçalves da Silva.

Depois de algumas administrações em que o município não teve o olhar merecido e esperado por seu povo, a maioria da população elegeu, em 2016, o prefeito Rômulo Marinho Carneiro, jovem idealista, empreendedor, visionário e corajoso que, mesmo com o Brasil atravessando uma crise econômica sem precedentes, desenvolve uma administração responsável e inovadora, demonstrando o seu amor e respeito pela cidade, cumprindo suas promessas de campanha.

Em menos de dois anos de gestão o prefeito já conseguiu realizar várias e importantes obras, transformando o município num lugar mais desenvolvido, moderno, promissor, mais bonito, mais humano e melhor de se viver.

Hoje Juvenília é conhecida em todo Brasil e no mundo, e possui uma equipe gestora, sob o comando do prefeito Rômulo Carneiro, que se preocupa, investe e acredita em dias melhores para a cidade e seu povo.

Os investimentos em turismo, setor que mais cresce no Brasil e no mundo, já estão dando visibilidade e projeção ao município, que deverá entrar para o circuito turístico regional pela sua natureza exuberante e infraestrutura com a criação da Praça do Bosque.

Este ano, devido a escassez de recursos, o prefeito optou por não investir numa festa grandiosa, com bandas de projeção nacional, como merece a população e os visitantes, para evitar um colapso nas finanças do município, o que poderia comprometer o funcionamento de serviços básicos, pagamento de fornecedores e até o salários dos servidores.

Mas será realizada uma festa, pequena, mas bonita, organizada, animada e tranquila, durante os dias 28, 29 e 30 de setembro, na Praça do Bosque, que será inaugurada para receber a população e os turistas.

Uma cidade que cresce, se desenvolve, se destaca , brilha e, pela sua pouca idade e excelente fase em que vive, já está sendo chamada de a Nova Princesinha do Norte de Minas.

Parabéns, Juvenília! Que dias ainda melhores possam vir para a cidade e seu povo!

Parabéns, CEC/FUCAM, exemplo de Escola e de Educação!

Parabéns povo juveniliense! Um povo inteligente, culto, guerreiro, amigo, acolhedor e incansável na luta por dias melhores!

Viva Juvenília!